segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Chimarrão passeando pelo Guaíba

Imagem área, via satélite extraída do Google Earth


No dia 12 de Outubro, um dia antes de minha cirurgia, domingo de sol maravilhoso, resolvemos eu e Adelaide dar uma volta com as nossas bikes. O objetivo era saírmos de nosso apartamento no Bairro Tristeza e irmos até a avenida Beira Rio ou até o Brique e lá descansarmos para fazer um bom chimarrão e curtirmos o final da manhã. Levava todos os apetrechos, cuia, bomba, erva e térmica já com água quente na mochila. Nos perdemos na metade do caminho, pois havia me distanciado e a Adelaide resolve entrar no parque marinha, nosso caminho no último passeio que fizemos até o Brique. Esperava a Adelaide e nada. Aí me lembrei "- Ela só pode ter ido pelo Marinha." Retornei e também entrei no marinha. Aliás, que belíssimo parque: será que existe no mundo outro tão lindo? Encontrei a Adelaide já na frente do shooping Praia de Belas, me ligando de um orelhão para tentar me localizar. Resolvemos dali ir para o Gasômetro (o Brique fica para outro dia). Chegando lá paramos com as bicicletas ao lado de um atracadouro, onde naquele instante estava terminando o embarque em um barco que fazia o passeio pelo Guaíba. De repente a menina que recebia e vendia os bilhetes de passagem olha para nós e pergunta se não queremos também fazer o passeio. Respondo: " e as bicicletas?". E ela: "- sem problemas, damos um jeito". Já que a intenção era pararmos para fazer e tomar aquele mate, por que não a bordo de um barco, passeando pelo Guaíba. Resolvemos ir e fazer o nosso chimarrão a bordo do barco. O passeio durou uma hora. Foi nosso primeiro passeio na estuário do Guaíba, embora já morarmos em Porto Alegre a mais de 5 anos (que vergonha). O passeio foi muito agradável e pude constatar a beleza que é a laguna Guaíba. Evidentemente que falta muito para Porto Alegre explorar de forma profissional este privilégio da natureza, mas que há um potencial enorme para isto, não há dúvida que há. As ilhas do Guaíba são um capítulo a parte. Ilha Grande dos Marinheiros, Ilha da Pintada, Ilha da Pólvora, Ilha da Maria Conga, ilhas das Flores são alguns exemplos de belos locais para se visitar. As vilas de pescadores, as mansões de veraneio, as ilhas habitadas por poucas famílias e com acesso somente pluvial, a vista da cidade, do gasômetro, do porto, da catedral, a natureza exuberante das ilhas desertas, a casa de pólvora, a ilha do presídio, enfim natureza, cultura, história. Vale a pena conhecer melhor o que está tão pertinho de nós, mas tão distante. Infelizmente ficamos sem bateria na nossa máquina fotográfica, o que nos fez decidir que temos que voltar e fazer outro passeio.

Um comentário:

Obrigado pela sua participação e opinião.