sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011

Queremos, agora no finalzinho deste ano abençoado para nós que esta se encerrando, mais uma vez desejar a todos que nos acompanham, um 2011 repleto de felicidade, saúde e realizações.

Queremos também agradecer a todos que nos mandam mensagens, que nos acompanham e seguem no blog e que nos incentivam das mais diversas formas a continuar sonhando. Muito obrigado. Continuem conosco.

Quero também dizer que 2011 será muito especial para mim e para a Adelaide. Será sem dúvida o ano mais importante de nossas vidas, pois será o ano do nascimento de nosso filho Artur. Somos abençoados e agradecemos muito a Deus por isto.

Que venha 2011 com todas suas possibilidades.

Saúde e muitos km de estrada a todos.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Educação não está necessariamente com quem tem dinheiro

Uma coisa que tem me irritado bastante é observar pessoas atirando lixo na rua. Já por diversas ocasiões flagrei pessoas a bordo de grandes carrões atirarem lixo pelo janela dos seus carros. Pois hoje pela manhã aqui em Porto Alegre, fui buscar a Adelaide em um determinado ponto da cidade. Retornando, parado em uma sinaleira, observei o carro ao lado, dirigido por um senhor "fino", bem vestido, já com seus cabelos brancos, amassado um papel (destes prospectos com propaganda de imóveis ou veículos, entregues nas sinaleiras). Comentei incrédulo com a Adelaide: - Este cara não vai jogar este papel na rua pela janela do carro, vai? Dito e feito, pois foi arrancarmos nossos carros após a abertura do sinal verde, que o distinto senhor, tentando disfarçar, jogou a bolinha de papel pela janela do seu veículo, um lindíssimo vectra modelo novo top de linha. Não me contive, e na sinaleira seguinte parei ao seu lado, dei uma buzinadinha, fiz sinal para que baixasse o vidro do seu lustríssimo e brilhante veículo, e tasquei: - O Senhor não tem vergonha, atirando lixo na rua pela janela do carro? Evidentemente que a reposta veio na forma de diversos impropérios impublicáveis. Como apreendi dia destes que "Nunca devemos discutir com um idiota, pois quem estiver assistindo não saberá quem é quem", deixei o infeliz falando sozinho e continuei meu caminho. A Adelaide sábia como sempre, com seu jeito calmo, de forma singela e delicada, disse resumindo a grande verdade que nos acompanha através dos tempos: - Educação não está necessariamente com quem tem dinheiro.

Grande e Sábia Verdade.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Uma homenagem a piloto de nossa nova aventura

Transcrevo abaixo um dos textos mais emocionantes e emocionados que já fiz. Ele se refere ao relato do último (25°) dia de nossa viagem ao Fim do Mundo e acabou sendo um tributo e homenagem a mãe do Artur, esta guerreira, que agora é a piloto desta viagem que estamos fazendo. Nesta viagem de gerar e criar um filho, eu sou o garupa e a Adelaide a piloto.


Chegávamos pela BR 290 em Minas do Leão, logo em seguida, Minas do Butiá, mais a frente Arroio dos Ratos. Conhecia bem esta estrada em função de várias viagens que fizera a Bagé, quando lá trabalhei, e sabia que dali a 15 km chegaríamos à praça de pedágio e após atravessarmos a cancela se descortinaria sob os nossos olhos a bela e amada Porto Alegre iluminada, visão e sensação ímpar, que não têm preço e que sempre me enchia de emoção. Mesmo na época que trabalhava em Bagé e mantinha casa em Nova Petrópolis e por conseqüência, deste ponto, até Nova Petrópolis precisaria ainda rodar mais 150 km dos 470 km da distância total do percurso, chegar aqui e atravessar a cancela do pedágio me fazia me sentir em casa. Estávamos já rodando a mais de 18 horas, já era 1:00 da madrugada do dia 15, ou seja, já adentrávamos o 25° dia da Viagem ao Fim do Mundo, e faltava pouco mais de 40 km para nosso apartamento na Zona Sul, pertinho do maravilhoso Guaíba. Desde que havíamos entrado no Uruguai, deixando para trás a Argentina, a polícia camineira e começado o trecho bucólico, simpático e deserto que separava Paysandú de Riveira, eu era tomado por uma forte emoção que me fazia rememorar não só a viagem, mas também todos os meses anteriores de preparação, planejamento, sonho, engajamento, mas de tudo o pensamento que mais me comovia, me fazendo chorar, era o quanto a Adelaide foi uma forte corajosa companheira. Ainda agora ao escrever este derradeiro e último diário, este sentimento ressurge, fazendo com que os olhos fiquem marejados. Preciso me segurar para que as lágrimas não venham. Lembrar que sempre, enfrentando ou não adversidades, o jeito de ser de minha companheira fazia com ela não se intimidasse ou se abalasse com nada. Frágil, mas forte. Calma, mas firme. Mesmo na roupa de cordura e com capacetes que nos fazia parecer astronautas ela não conseguia deixar de esconder a sua meiguice. Pensava o quanto ela foi verdadeiramente parceira e peça chave para o sucesso da empreitada. Metódica, organizada, mas fundamentalmente zelosa, carinhosa por tudo que levávamos, equipamentos, roupas, utensílios (este é o jeito da Adelaide = empoeirados, sujos, suados, ou não, ela sempre fazendo questão de manter tudo em ordem, acionando em mim a implicância de lembrá-la que estávamos em uma viagem e que podemos negligenciar algumas coisas. Qual o problema de andarmos vários dias com as roupas sujas e suadas? Não para a Adelaide, tudo deveria estar sempre organizado, e portanto fazia o possível para que isto ocorresse. É seu jeito...). Sua dedicação anterior, assumindo de cabeça e alma a função de desenhar o roteiro e pesquisar os pontos que conheceríamos fez dela a melhor de todas as navegadoras, o que em muitas situações me surpreendeu, pois parecia que ela já havia estado naqueles locais. O mapa que nos guiou, cuidadosamente colado folha a folha com adesivo e minuciosamente estudado quanto aos pontos de abastecimentos e locais de pouso foram fundamentais para a viagem. Ia lembrando de tudo isto, de seu amor e dedicação por tudo que faz e me emocionando, e mesmo pilotando buscava a mão dela, como que para demonstrar de forma silenciosa a minha gratidão por ela fazer parte de minha vida. Laços que se fortalecem ainda mais, companheirismo que cresce, sensações impagáveis que na verdade são manifestações das mudanças, mesmo imperceptíveis que uma aventura como esta causam no subconsciente e consciente de nossas mentes. Novamente, naquela madrugada, com as luzes da nossa cidade se apresentado, estas reflexões voltaram com força. Parece que partimos ontem? Tentava ainda me lembrar de nosso sentimento, de nossos temores antes da partida, o quanto iniciaríamos uma jornada diferenciada, não convencional e agora, após quase 13.000 km, 3 países visitados, 25 dias de viagem e termos alcançado o Fim do Mundo, termos caído e novamente levantado, concluíamos que tudo foi muito simples, e vários dos temores realmente eram frutos de nossa imaginação. As possibilidades estão ao nosso lado, basta partir. Meu maior temor antes da viagem era o de não partir, o de desistir. Felizmente os anos e a bagagem e experiência de vida vão acrescentando a nossa personalidade convicções e persistência para não desistir. Estávamos em casa, estávamos na querida Porto Alegre, logo estaríamos na Zona Sul em nosso amado apartamento. Levantava o braço esquerdo com os punhos cerrados socando o ar como forma de comemoração de uma viagem, iniciada e concluída. Chegar neste ponto me emocionou tanto ou mais que a chegada a Ushuaia. Havíamos completado o percurso e estávamos de volta, felizes e com a mais absoluta saúde. Uma prece a Deus ainda na moto por tudo que ele tinha feito e proporcionado, mas principalmente pela maravilha que é este mundo que ele criou. Chegávamos à Avenida Beira Rio, bela e agora toda iluminada, logo estávamos entrando na Diário de Notícias, e a visão do novo shooping iluminado me fez lembrar do cinema que ainda neste final de semana curtiríamos. A ciclovia me lembrou que logo estaríamos novamente fazendo nossas caminhadas e corridas. Que sensação gostosa é esta de chegar. Apontamos e lá estavam a Wenceslau e logo nossos apartamentos. Embicamos a moto no portão de entrada, o vigilante, Seu Luis (o mesmo que tirou a nossa foto quando partimos), o abriu manualmente. Estacionei a moto, saltamos da moto e cumprimentamos o seu Luis. Perguntei a ele: - lembra que há 25 dias atrás o senhor tirou uma foto? - Lembro, respondeu. - Pois é, agora o Senhor vai tirar outra foto, porém naquele dia a moto tinha 246 km, hoje ela está com 13.000 km. Tiramos a foto e olhei para Adelaide e disse: - Obrigado por tudo, lhe abraçando, e ela também agradecendo. A emoção veio forte, e pudores de uma educação machista, me fizeram desviar o olhar e imediatamente iniciar a desmontagem dos equipamentos. Antes de irmos para o apartamento, como muitas vezes fizera nesta viagem, abraçado a Adelaide com o braço estendido segurando a máquina fotográfica, tiramos a foto de número 3.632, à última da Viagem ao Fim do Mundo. Esta aventura terminara, estávamos em casa, cumprimos com os nossos objetivos, conhecemos locais maravilhosas, experimentamos o vento patagônico, caímos e nos erguemos, nos cobrimos de pó, sacolejamos nas costeletas das estradas ripiadas, comemos e dormimos mal, mas todos foram ingredientes que fizeram desta aventura um feito único, absoluta e plenamente curtido por nós dois, Álvaro e Adelaide, e ficará para sempre gravado em nossas lembranças.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A Maior Flor do Mundo

Mais uma do Gênio:
"E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos? Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?" José Saramago.
O seu conto infantil: A Maior Flor do Mundo:

domingo, 31 de outubro de 2010

A pressa - Da série Frases e Citações memoráveis

É incrível como tudo na vida, quando se faz sem pressa, adquire muito mais sabor. A pressa só serve para nos deixar menos sensíveis, menos atentos a tudo o que acontece em volta. Com pressa se perdem muito dos detalhes, que são tão importantes nas coisas. Os fatos são feitos de detalhes, de nuances, de pequenas particularidades, que quando somados formam o todo. Perdendo-se os detalhes ainda se vê o todo, mas jamais sua profundidade. (Aventuras no Mar, pág. 163, de Helio Setti Jr).

domingo, 24 de outubro de 2010

Decisões Extremas

Decisões Extremas. Filme que vimos hoje, baseado em fatos reais e com a participação de um elenco de peso.

Fala de obstinação, perseverança, esperança, luta.

Resumo o filme em uma das frases que foi dita nos extras pelo ator que interpretou o protagonista, falando a respeito de seu personagem: "- Ele transformou o NÃO em TALVEZ e o TALVEZ em SIM".

O filme é ótimo. Fiquem com o trailler: 

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O Rio Grande Canta o Cooperativismo


No dia 29 de Outubro de 2010, portanto na próxima Sexta-feira, será realizada a 2° etapa classificatória do festival "O Rio Grande Canta o Cooperativismo", que chega a sua 4° Edição. Esta etapa ocorrerá na cidade de Rolante e contará com a participação de 10 músicas inéditas. Entre elas a do meu amigo, poeta e compositor Flaubiano Lima. Este ano ele concorre com a música "Ventos de Esperança" que será interpretada pelo músico Nilton Ferreira. Flaubiano e Nilton representam a SICREDI Nordeste, com sede na cidade de Rolante. O Festival, promovido pela OCERGS (Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul) é um festival do mais alto gabarito e de entrada franca. Ao todo serão 3 eliminatórias. A primeira já ocorrida na cidade de Santa Rosa, a segunda, na próxima Sexta-feira em Rolante, e a última antes da final, na cidade de Antônio Prado. A final ocorrerá na cidade de Ibirubá, quando 12  músicas (4 de cada eliminatória) concorrerão a melhor música deste belíssimo festival.

Em 2008, o meu amigo Flaubiano, venceu com uma das músicas mais lindas do cancioneiro gaúcho, o prêmio de melhor música desta edição do festival. A música é linda pela sua musicalidade e pelo conteúdo de sua mensagem.

Confiram, Vale a pena:

Fábula dos Gansos

A um olhar mais atento não passa despercebido
Esta fábula de união que os gansos nos ensinam
Quando nos céus peregrinam em seu voar solidário
Povoando os olhos da gente com as lições que disseminam

Quando o bando bate as asas, a formação em forquilha
Reduz a força do vento prá os que vem na retaguarda
E uns ajudando os outros se revezando na ponta
Vão longe, afinal de contas, fica mais leve a jornada

O líder que vai na frente quando cansa entrega o posto
E se recolhe por gosto ao lugar comum da culatra
E continua grasnando prá dar coragem aos outros
Para que um grito de fé torne a vida menos ingrata

Cooperação é assim, é uma direção comum
É um compartilhar de rumos pelas crenças coletivas
É só olhar para os gansos e ver em suas lições
Uma imensidão de razões prá andar em cooperativa

Estas aves migratórias que buscam amenidades
Ensinam tantas verdades que alguns teimam em não ver
Ensinam que prá vencer as agruras dos caminhos
Não se pode andar sozinho
É cooperar ou morrer

Autor da letra: Flaubiano Lima; Autor da música: Jonas Demeneghi da Silva; Intérprete: Lúcio Brandão.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Livro do Godoy: Viajando pela Rota Transiberiana


Já faz um tempo que quero aqui publicar meu comentário a respeito da leitura de um dos livros do Guillermo Godoy, "Viajando pela Rota Transiberiana". Mas antes de comentá-lo é importante que eu fale um pouco a respeito do autor. Pois bem: O Guillermo Godoy é hoje um ícone no mundo do motociclismo de longas viagens (Motociclismo que denomino de Mototurismo ou Motoviagem). Godoy não é somente merecedor deste título pelos seus feitos motociclísticos. Sem dúvida que estes já o credenciariam para tal, mas na esteira destas realizações temos um homem de elevadíssimo caráter e integridade. Godoy, com 65 anos, nos idos de 1997, empreende uma viagem com o objetivo de cruzar a Transiberiana. Atentem para a data. Estamos falando de um período imediatamente posterior a Glasnost e a Perestroika lideradas por Mikhail Gorbachev premier russo, que capitaneou a democratização da URSS e iniciou a derrocada do sistema totalitário e corrupto do partido comunista soviético. Vejam só, estamos falando de um motociclista com 65 anos de idade, que planeja e realiza uma viagem, ainda hoje das mais inusitadas, para a Sibéria de tantas histórias e mistérios. E hoje vemos motociclistas na flor da idade se queixando da vida e das dificuldades e adversidades de uma viagem de motocicleta onde os destinos mais comuns da maioria dos motoviajantes brasileiros são em sua maioria a América do Sul. Além destes componentes, merece ressaltarmos a sensibilidade e boa pena deste escritor, que como disse, usando da mais pura sensibilidade do viajante engajado em seu projeto, ainda apesar da idade e experiência, se considera um aprendiz. Ele nos remete a visão e relato dos lugares, paisagens e experiências de um país desconhecido, com uma língua desconhecida e difícil, e do sofrimento que traz a distância de sua família, especialmente de sua filha Patrícia, grande parceira também de outras tantas viagens. Godoy sofre, se diverte, se experimenta, enfrenta lobos em plena noite gelada da Sibéria e passa a noite dormindo em uma barraca as margens desta monumental ferrovia, onde tem o incrível privilégio de assistir a poucos centímetros de distância de onde estava, a passagem do trem Transiberiano. Um fato, realmente sem precedentes. Quem já passou por isto? Confiram este fabuloso trecho:

"Pouco antes da meia-noite, um leve tremor na terra e um estranho barulho na distância, me fizeram acordar com certa preocupação. Nesse momento, Ener gritava de dentro do seu iglu: É o tremor de um terremoto!!!...
Abri o fecho da minha barraca e apesar do frio, fiquei observando com a cabeça de fora ao longe, um poderoso facho de luz que iluminava a noite negra e gelada.
O trem !! O trem !!
Gritamos os dois ao mesmo tempo, cheios de euforia.
Enquanto isso, o tremor de terra aumentava cada vez mais, e, o poderoso refletor, penetrava na noite, iluminando os trilhos. De repente, as motos e as barracas e nós mesmos, ficamos envolvidos por intensa e estranha luminosidade.
No preciso momento em que a luz nos atingiu, escutamos um apito estridente e prolongado, que rasgou brutalmente, o silêncio da noite.
Fiquei totalmente impactado com essa visão quase fantasmagórica e aquele som cada vez mais crescente. Parecia que "essa coisa", vinha com toda a fúria, bem em cima de nós.
Durante vários minutos, emocionantes, durante os quais esgotei minhas reservas de adrenalina, o trem Transiberiano, todo iluminado, passou como um vendaval, bem ao nosso lado, rugindo e fazendo vibrar a terra e muito mais, meu coração. Consegui contar treze vagões e duas locomotivas.
Pouco a pouco, o barulho e a luz do trem, foram diminuindo até desaparecer. Em questão de minutos apenas, em torno de 1000 pessoas, tinham passado ao nosso lado, quem sabe com que destino, cada um !!
Me perguntava,..... quantas pessoas haveria no mundo, que já viram passar o expresso Transiberiano, no meio da Sibéria, à noite e bem ao lado da sua barraquinha?? Provavelmente nenhuma. Eu era um privilegiado. Naquele momento, eu agradeci a Deus por ter a oportunidade de viver essa rara emoção." (Op. cit. pág. 165)

Nem tudo foram flores nesta aventura, tanto que abordados pela polícia soviética e carentes de uma mera formalidade, são obrigados, quase concluindo a travessia, a retornar ao ponto de partida, o que apunhala de forma violenta a moral do grupo (Guillermo tem a companhia de Ener, seu amigo Indiano, proporcionador das mais inusitadas e cômicas situações nesta viagem). Recuperados retomam a viagem, agora com novo destino. Este livro merece sem dúvida a leitura. Hoje Guillermo está com 77 anos e não descansa, pelo contrário, possui um vigor de menino. Médico, Argentino de nascença, mas Brasileiro de coração, Guillermo mora em Florianópolis. Quem visita seu site, verá que ele planeja uma volta ao mundo. Também agora recebi a notícia da publicação de seu último livro onde ele conta a sua experiência de tentar cruzar as três Américas do extremo sul (Ushuaia-Argentina) ao extremo norte (Prudhoe Bay - Alaska). Mas este é um tema para um próximo post. Por hora, fiquem com a sugestão deste livro do Godoy, que pode ser adquirido através das instruções constantes em seu site.

sábado, 16 de outubro de 2010

Se chamará Artur

Vai ser guri e se chamará Artur. No dia 6 de Outubro a Adelaide fez mais uma Ecografia e neste dia ele estava com 180 gramas e media 17 cm (incrível como crescem). A Adelaide estava na 17° semana de gestação. Hoje ela já está com 18 semanas e já começa a sentir os primeiros movimentos do bebê. A cada dia que passa a minha expectativa e ansiedade aumenta e fica tangibilizada no crescimento da barriga da Adelaide. Ali está o nosso filho, crescendo, já se movimentando, chutando, esticando os bracinhos e as perninhas, mas tranqüilo e confortável no ventre de paz de sua mãe. Estamos muito felizes.

sábado, 9 de outubro de 2010

Saudade

Amanhã dia 10 de Outubro fazem 15 anos que a nossa mãe, Nilse Link, nos deixou. Depois de uma longa e corajosa luta contra o câncer ela é vencida pela terrível doença. Faleceu rodeada pelos seus 4 filhos que muito a amavam. Hoje dia 9 de outubro ela estaria fazendo aniversário. Ela ainda está muito presente em nossas vidas e este período, especialmente estes dois dias, são doloridos para mim, dias em que a lembrança e a saudade apertam forte o coração.

Perseguição policial

Impressionante as imagens deste vídeo. Busquei lá do blog do Youssef. Pensei que cenas como estas só víamos em filmes norte americanos. Confiram:

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Começou a maior e mais linda aventura de Álvaro e Adelaide

Amigos: Informo que a Adelaide e eu iniciamos uma nova e fantástica viagem. Bem diferente das viagens que até agora fizemos, mas certamente muito mais emocionante, bela e completamente nova para nós. Trata-se de uma experiência única e a muito desejada. Falo da viagem rumo ao exercício da maternidade por parte da Adelaide e da paternidade de minha parte. É isto mesmo: estamos grávidos. Eu serei papai e a Adelaide será mamãe. Agora ao invés da análise de mapas, analisamos ecografias, ao invés da compra de novas roupas e equipamentos para viagem e para moto estamos tendo que adquirir fraldas, roupinhas de bebê e projetando o seu quartinho. Ao invés do estudo de guias turísticos impressos ou pela internet, estamos fazendo leituras sobre bebês e gravidez. Ao invés da longa estrada a ser vencida, temos (eu ao menos) uma longa espera até o nascimento (muitos dizem que este período passa voando). Ao invés da expectativa do caminho novo, cheio de surpresas, a expectativa de como será e o que será esta criança e como será a nossa vida de agora em diante. Enfim, assim como em nossas viagens, estamos curtindo muito esta nova e emocionante aventura.

A Adelaide está apenas com sete semanas, fizemos a primeira ecografia (foto acima) e o bebê tem o tamanho de um grãozinho de feijão, 4,25 mm e seu coração bate com toda força. Lindo, tocante, indiscritível, um milagre da criação. Vamos curtir muito esta nova aventura e estaremos contando as novidades aqui no blog.

Vem por aí mais um ou uma motociclista.

A propósito: quem acha que agora vou parar de andar de moto se engana. Vou planejar alguma viagem solo, claro que mais curta em tempo e distância, porém com o apoio total da Adelaide, que é uma baita parceirona. Ela sim, terá que dar um tempo nos passeios e viagens de motocicleta, mas por uma ótima causa.

domingo, 20 de junho de 2010

Duas perdas irreparáveis para o mundo

Esta semana o mundo perde dois seres humanos especiais e personagens de minha mais alta admiração. Um deles é Édio Spier, líder cooperativista, presidente de uma das maiores cooperativas de crédito do Brasil e Ser Humano dotado de uma enorme inteligência. Com ele pude conviver alguns anos, quando trabalhei na SICREDI Pioneira, localizada no município gaúcho de Nova Petrópolis, berço do cooperativismo de crédito no Brasil. Para mim foi um enorme privilégio ter podido conviver com Édio com quem apreendi e devo muito. Deixará sem dúvida um imenso vazio na sua família e no ambiente do cooperativismo. Édio faleceu na Terça-feira, dia 15 de Junho aos 77 anos. Uma lastimável perda.

Outro personagem que eu muito admirava, porém não tive o privilégio de ao menos ouvi-lo ao vivo em alguma de suas conferências aqui em Porto Alegre, porém devorei vários de seus livros é o escritor Português José Saramago. O primeiro livro, que li de José Saramago, prêmio Nobel da literatura foi o Evangelho segundo Jesus Cristo = avassalador. Obra de conteúdo ateu que causou e causa enormes controvérsias, porém interessantíssima. A forma de escrever de Saramago exercitava o meu cérebro: "uma pontuação indiossincrática, diálogos incorporados ao fluxo da narrativa, separados não por travessões ou parágrafos, e sim por vírgulas, e uma voz que não se limita a descrever uma história, mas também discorre, ensaisticamente, para além do enredo." (ZH, caderno de cultura de sábado, por Carlos Andrade Moreira). Dizia ele " A pontuação é uma convenção. Existem línguas que não usam, mas mesmo assim os que as falam entendem o que leem. Quando falamos não usamos pontuação". Saramago morreu aos 87 anos na Sexta-feira, dia 18 de Junho. Continuo e continuarei sendo seu fã e admirador.
"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais." - José Saramago.

Saramago, assim com Édio eram sujeitos autênticos, verdadeiros, sem subterfúgios na hora de defender apaixonadamente seus pontos de vistas. À Pessoas como eles deveria ser concedido a graça de poderem viver mais 100 anos

domingo, 13 de junho de 2010

Confira o relato da viagem "NAS ASAS DO CONDOR"

Para quem quiser acompanhar o relato da Viagem "Nas Asas do Condor", acesse o link ou blog especialmente criado para este fim. A Adelaide, que está se revelendo uma excelente relatora tem postado o relato dia a dia com as respectivas fotos. Está ficando muito legal e pode serivir de apoio e informação para quem um dia quiser fazer uma viagem parecida. Já postamos até o 13° dia. A cada semana relatamos um dia. Estamos desta maneira na metada da viagem. Boa leitura

domingo, 30 de maio de 2010

Estão todos bem

Recomendo.
É um filme comovente. Fala da vida: de perdas, de ganhos, de acertos e desacertos.


E de lambuja uma ótima trilha sonora, composta por Paul MaCarthey, especialmente para o filme:

domingo, 18 de abril de 2010

Encontro de Motoviajantes

Da esquerda para direita: Eliseu, Gil, Álvaro e Serra

Da esquerda para direita: Simone, Serra, Lili com João Gabriel, Manja, Adelaide e Gládis

O Momento do crime.

No sábado, dia 17 de Abril, graças a família Serra (João Serra, Manja e Lili), agregadores de pessoas e estimuladores de grandes amizades, conhecemos o casal Gil e Simone e seu filhinho João Gabriel. Já a muito tempo ouvíamos o Serra falar da intenção deste encontro, que neste sábado, lá no bairro Quinta em Rio Grande se tornou realidade (importante para que estes encontros ocorram é marcar data). Lá também reencontramos o casal Eliseu e Gládis, que junto com Serra fizeram a viagem ao Peru. Encontro de Motoviajantes, pois o casal Gil e Simone, moradores de Duque de Caxias (RJ), possuem um currículo invejável de viagens. Gil, ativo membro do Fórum XT já coleciona muitas aventuras de motocicleta por este Brasil e pela América. Foi um dia delicioso onde as histórias de motoviagens, bem como as fotos destas aventuras, dominaram as conversas. Dia também para acalentar e estimular sonhos e projetos: a nova viagem, a viagem dos sonhos, a moto ideal, etc, etc, etc (papo de quem desafia seus sonhos). Grande identificação entre os presentes. Acabar com o costelão assado pelo Serra foi outro momento memorável do encontro. Dia para ficar na história, pois fazer novos amigos e cultivar estas amizades não tem preço. O Gil e a Simone já podem contar com o compromisso nosso (meu e da Adelaide) de visitá-los no Rio = promessa é dívida. Surgiu a semente de uma viagem conjunta em 2012 para o Peru, enfrentando a Transoceânica. Vamos ver no que vai dar.

domingo, 28 de março de 2010

Os 5 locais mais perigosos do mundo

O Site listverse se propõe a reunir as mais diversas listagens. Sua última listagem se refere aos 10 locais mais perigosos do mundo. O Yahoo notícias reproduziu os 5 mais perigosos que trago para os leitores deste blog:
1° Ilha de Queimada Grande:
Fica a 35km de Itanhaém, litoral sul de São Paulo, foi apontada como o verdadeiro inferno na Terra. Ela só é paradisíaca numa foto tirada bem de longe. De perto, na verdade, seria bem difícil alguém tirar uma foto e continuar vivo para mostrá-la a alguém. Por quê? Bom, porque ela possui a incrível média de nove cobras por metro quadrado - são cerca de quatro mil no total. E não são cobrinhas inofensivas, não. São todas do tipo Jararaca-Ilhoa (Bothrops insularis), com um veneno extremamente potente, capaz de matar uma pessoa em poucos instantes. Para se ter uma ideia de como esse lugar é perigoso, ninguém pode entrar na ilha sem autorização da Marinha. Veja bem: a entrada na ilha é proibida.
2° Chernobyl (Ucrânia):
Cidade do maior desastre radioativo do mundo - uma explosão num reator da usina nuclear, gerando uma imensa nuvem radioativa que contaminou pessoas, animais e o meio ambiente de uma vasta extensão da Europa. O acidente de Chernobyl teve 100 vezes mais radiação do que as bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki durante a II Guerra Mundial. Apesar de resíduos da radiação permanecerem no solo até hoje - e permanecerão por décadas, algumas pessoas ainda moram por lá.
3° Azerbaijão:
Uma área tomada por centenas de pequenos vulcões de lama. Quando entram em atividade, voa lama para tudo quanto é lado.
4° Estrada Yungas (Ruta de La Muerte):

Liga La Paz a Coroico, na Bolívia. Ela tem 56 quilômetros de extensão e faz qualquer estrada brasileira (até mesmo a Fernão Dias) parecer uma Autobahn alemã. A Yungas contorna a Cordilheira dos Andes, a mais de 3 mil metros de altitude. Ela é sinuosa, não possui asfalto e não tem guard rail, mureta, nada. Se você erra uma curva, cai de uma altura de 600 metros. Tem uma neblina incessante também. Resultado: de 200 a 300 mortes são registradas por ano nessa estradinha do inferno.
5° Ilha de Ramree:

Localizada em Burma, no sudeste asiático. Trata-se de um imenso pântano, infestado por mosquitos transmissores da malária e repleta de crocodilos gigantescos. Durante a II Guerra Mundial, a ilha foi palco de uma batalha por seis semanas. Os relatos de soldados japoneses são macabros. Dos cerca de mil designados para o local, só 20 sobreviveram - os demais foram trucidados pelos crocodilos. "Era a cacofonia do inferno o som dos gritos de soldados sendo mastigados pelos crocodilos", relatou um sobrevivente.

domingo, 21 de março de 2010

Da Quinta pra Nove - Cruzando as Américas numa Motocicleta

Sempre fico muito feliz quando fico sabendo da publicação de mais um livro sobre motoviagens. Já esperava ansiosamente a chegada da obra de Lúcio Siqueira e Maria Paula Crisci, editores do blog "Da Quinta pra Nove" que também é título da publicação. O livro relata a aventura empreendida pelo casal que vivia em Nova York e que em determinado momento de suas vidas decide realizar um sonho: "cruzar as Américas numa Motocicleta”. DA QUINTA PRA NOVE conta como a união verdadeira de um casal é suficiente para que os desafios sejam superados e os sonhos realizados. Lúcio, Maria Paula e a moto Dedete vivem momentos maravilhosos - e outros nem tanto - numa aventura que teve início na famosa Quinta Av., em Nova York, passando por 13 países, e término na Av. 9 de Julho, em Ribeirão Preto - SP.  Sou um seguidor do blog do casal, que consta como link na seção blogs de motociclistas, e já havia publicado aqui um ótimo texto do Lúcio, sobre acidentes e cuidados com a pilotagem. Agora teremos o privilégio de ler esta obra diferente, afinal, não é para qualquer um cruzar as três américas a bordo de uma motocicleta, e detalhe, ingressaram no Brasil pela transoceânica. É ou não é coragem?. A publicação é acompanhada de um DVD com fotos de Maria Paula, que também é fotógrafa. Para encomendar o livro clique aqui e siga as orientações. Boa Leitura.

domingo, 14 de março de 2010

Trilha incrível. Vai encarar?

Dêem uma olhada no vídeo abaixo. Não é incrível?

Pé na Africa

No dia 11 de Junho começa a copa do mundo de 2010 na África do Sul. A África do Sul e o continente Africano para mim são ainda desconhecidos, ignorância esta diminuida com a leitura do livro de Fábio Zanini "Pé na Africa", que narra sua viagem de mochilão por diversos países do incrível continente. Pé na Africa é um ótimo livro que recomendo. De leitura agradável, clara e cativante, o livro me apresentou ao continente e me instigou a um dia também conhecê-lo pessoalmente. Fábio sai do lugar comum visitando e buscando experiências de um turismo não convencional. As informações contidas no livro podem ser complementadas pela leitura do blog do autor, que á jornalista da Folha de São Paulo.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Começamos o relato da Expedição "NAS ASAS DO CONDOR, uma viagem ao umbigo do mundo".

Após um período que nos afastamos do blog por alguns dias (possibilitados pelo longo feriadão de carnaval e uma negociação na empresa onde trabalho, que me possibilitou emendar o carnaval com o final de semana seguinte, proporcionando 10 dias de descanso), que foram aproveitados para lermos muito (logo postarei dicas de ótimos livros), descansarmos muito (afinal desde que chegamos da viagem ao umbigo do mundo não paramos e diga-se de passagem nossas atividades foram intensas), tomarmos chimarrão e sonharmos com projetos futuros, tudo isto, na bela Garopaba, cidade litorânea de Santa Catarina (onde um dia ainda moraremos), estamos retomando a rotina com muita força. Vários são os projetos para 2010.
Como prometido, começamos a partir de hoje a inserir postagens períodicas, na forma de relato, da expedição "NAS ASAS DO CONDOR, uma viagem ao umbigo do mundo".
Também postaremos curiosidades dos locais, sites de ajuda, faremos ao final um consolidado com dados estatísticos da viagem (Consumo de combustível, gastos com a viagem, locais de abastecimento e pouso). A navegadora (Adelaide) estará relatando as suas impressões sobre cada dia da viagem ao final do relato. Postaremos também, dicas do que deu certo e do que não deu certo (equipamentos principalmente). Acompanharão as postagens, algumas fotos dos locais por onde passamos e visitamos, todas elas relacionadas ao dia relatado. Tudo isto no link, na forma de blog especialmente criado para esta expedição.
Enfim, a idéia é que este blog, ou melhor, o blog da viagem (link ao lado) possa ser um legado de apoio a futuros viajantes. Tudo será feito com muita calma e aos poucos. Espero que gostem.

Também estamos trabalhando na publicação de um livro com o relato da expedição "NAS A ASAS DO CONDOR", que na minha opinião poderá inspirar outros viajantes, servir de apoio e acima de tudo será uma realização pessoal minha e da Adelaide. Aguardem que logo estaremos divulgando novidades a respeito.

Enfim, desde já convido você a começar a novamente participar desta viagem, clicando aqui e visualizando o relato do primeiro dia da expedição. Se puder, deixa lá postado, seus comentários registrando suas impressões, críticas e sugestões.

Boa leitura a todos.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A distração pode ser fatal

Acompanhando o blog Da Quinta para Nove, do casal motociclista Lúcio Siqueira e Maria Paula Crisci ficamos sabendo da Anette, motociclista Neozelandeza, que cruzava as 3 américas de motocicleta e sozinha, saindo do Alaska, com o objetivo de alcançar Ushuaia, na Terra do Fogo. Na ocasião, inclusive havíamos nos comunicado com o Lúcio e a Maria Paula, solicitando mais informações a respeito da aventura e da aventureira, que no período estava hospedada na casa do casal por alguns dias. Esta descoberta da Anette de nossa parte, e troca de informações com o Lúcio e Maria Paula ocorreu em Outubro/Novembro de 2009.
Pois bem. Qual não foi nossa surpresa e susto quando, agora que voltamos da viagem e passamos a atualizar a leitura dos blogs, entre eles o Da Quinta para Nove, lemos em um post datado em 11 de Janeiro de 2010, que tomo a liberdade de transcrevê-lo na íntegra. Além do bom texto de autoria do Lúcio, vale a leitura pelas reflexões que nos provoca, especialmente para os motoviajantes.
Acompanhem:
Os acidentes pelo caminho
Alguns posts abaixo, comentava sobre a Aventura de Annette, do Alaska ao Ushuaia.
Pois bem, alguns dias antes do Natal, fomos informados que Annette sofreu um grave acidente já próxima do Ushuaia.
Estava, pasmem, a somente 200 km do seu destino final.
No momento, segue internada num hospital de Rio Grande - Argentina - com a clavícula e 3 costelas quebradas, além de um dreno no seu pulmão esquerdo.
Sua moto, o Tanque, que "dormiu" algumas noites aqui em casa, virou pó.
O tombo foi tão feio que Annette não se lembra de nada. E não há testemunhas para contar. Foi encontrada desacordada.
Há mais de 1 ano na estrada, superando todos os tipos de desafios, e faltando míseros 200 km para atingir a pontinha das Américas - dá para acreditar ?
Outro grande amigo, Eduardo, americano, em sua 10a. aventura, "relaxou" um pouco enquanto rodava por uma estrada do México e também caiu. Além de pequenas lesões, sua namorada quebrou o punho.
Estão abortando a aventura que, dessa vez, tinha como objetivo explorar destinos pouco conhecidos na Guatemala.
Na palestra que apresentei, no último SALARR - Colorado - conheci 3 motociclistas americanos, já em idade "senior", que, após a aposentadoria, resolveram fazer a "aventura de suas vidas" - cruzar as Américas sob 2 rodas.
Também tiveram que abortar a aventura na Nicaragua, numa curva da Panamericana. Um deles caiu feio e já está há 2 semanas na UTI com um problema sério na coluna.
Recebi um email, hoje, informando que somente agora ele poderá ser transferido para os EUA.
Como eu sempre dizia à Maria Paula, durante nossa viagem:
"É só errar numa curva e adeus aventura".
Nos 3 casos citados acima, há um fato em comum: todos se acidentaram exatamente num momento em que estavam descontraídos.
Não sei se podemos classificar os acidentes como "descuido". Sinceramente, acho que não.
Mas, a verdade é que na vida temos o costume de nos acostumar com os riscos à nossa volta.
Algo que aparenta ser extremamente perigoso um dia, com o passar do tempo, torna-se "normal" para nós - às vezes nem nos damos conta do real risco existente.
Já tentou, por exemplo, explicar a um norueguês o que é viver numa cidade em meio a "balas perdidas" ?
Eu já. Confesso que não foi uma tarefa simples - até porque o assunto é muito sério. Mas, milhões de pessoas vivem nessas circunstâncias. Nesse caso, são obrigados a se acostumar com a situação de alto risco.
Pois bem.
Uma aventura, assim como toda a nossa vida, está repleta de riscos e surpresas - boas e ruins.
Penso que se tivermos consciência dos riscos existentes e trabalharmos sempre para reduzí-los, teremos uma melhor chance de alcançar os resultados esperados, além de sobrar algum espaço para surpresas boas ao longo do caminho.
Boa sorte aos nossos amigos acidentados.
Espero que não desistam de seus sonhos.
Em um post subseqüente, datado em 2/02/10, com o título: Itens de Segurança - pra que?, o Lúcio nos dá mais informações e anexa fotos de nossa motociclista Anette:
Para aqueles com alguma dúvida sobre a importância de utilizarmos equipamento adequado de segurança e proteção, seguem 2 imagens recentes de Annette, brincando com o que sobrou de seu capacete, durante o período de recuperação do acidente no Ushuaia:
Annette já está em Londres, onde continua sua recuperação.
Até o momento, não se recorda de nada sobre o acidente.
Sem necessidade de comentários adicionais.......

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Moto encontros x Espírito do motociclismo responsável

Neste último final de semana, eu e a Adelaide pegamos a moto e rumamos para um encontro de motociclistas. Neste referido encontro, inserido em sua programação, ocorria o congresso da AMO RS (Associação dos Motociclistas do RS), com palestras sobre segurança no motociclismo. Boas palestras, medianas palestras e palestras não tão boas. Porém merece nossos elogios a iniciativa de "tentar" falar de segurança na pilotagem junto a categoria. O nosso objetivo ao rumarmos para o local do evento era justamente o congresso da AMO e não o Moto Encontro. Aliás não curtimos nem um pouquinho o formato dos atuais Moto Encontros. Na minha opinião eles são totalmente divergentes com o espírito do motociclismo. 
O que não consigo entender é a total incoerência do que vi neste final de semana. Explico: enquanto a AMO promovia, com muito esforço e em uma estrutura deficiente (o evento ocorria embaixo de um lonão com um calor absurdo), com dificuldades organizacionais e com alguns poucos interessados, palestras sobre o tema da segurança tanto do piloto como da garupa, em paralelo acontecia no mencionado moto encontro (que diga-se de passagem, não ser diferente de qualquer outro moto encontro em nosso estado e penso no Brasil), a promoção de atividades completamente divergentes do que se pregava.
Falo do seguinte: 
- Venda de bebida alcoolica para quem em seguida pegaria a motocicleta e rumaria para suas casas e cidades. Muita gente se embriagando para após pilotar uma moto; E pior, bebida (destilada inclusive) vendida pelo Moto grupo organizador do encontro; O resultado desta bebedeira, os senhores já sabem. Pergunto: Bebida e pilotagem combinam com o espírito de liberdade e celebração da vida, essência do motociclismo responsável ? 
- Promoção daqueles repetitivos shows acrobáticos e sem sentido de motocicletas (estouro de pneu, estouro de foquetes, acrobacias com pessoas dependuradas na moto, exposição a riscos de forma desnecessária, fumaceira total com queima de pneus e combustível). Importante dizer que em uma das apresentações ocorreu um acidente grave com vítima ferida junto a platéia. Notem que no congresso da AMO ouvíamos sobre segurança; Pergunto: Incentivar o risco de vida combina com o espírito de paz do motociclismo ? 
- Aliás esta queimação de pneu e fumaceira somente gera poluição, o que na minha opinião se configura em mais um absurdo e contraria o espírito livre e contestador do motociclismo que acima de tudo repudia a agreção a natureza e antes de mais nada guarda (ou deveria guardar) uma relação de muito respeito com a terra e com a natureza. 
Sinceramente como disse, estes encontros não fazem nosso gênero, e me posiciono de forma clara e crítica em relação a este formato. Repito: é uma incoerência estas atividades em paralelo aos debates que a AMO tenta promover. Na minha opinião falhou a AMO em promover o seu congresso em um ambiente como este. 
Quanto aos Moto Grupos, penso ser importante repensar suas abordagens e seu foco de atuação. Se queremos um motociclismo cidadão e responsável, precisamos rever muita coisa. Torço para que algum grupo contrarie o senso comum e nos brinde com uma outra proposta.

P.S: Mesmo assim sou um apoiador do motogrupos e de seus encontros, pois entendo que a muito custo estas iniciativas são criadas e mantidas. Sempre que posso divulgo as boas práticas. Entendo que existe, apesar deste equívoco de entendimento e orientação dos moto encontros, a intenção primeira de reunião e congrassamento das pessoas apaixonadas pelo motociclismo.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

World Experience

No retorno de nossa viagem "NAS ASAS DO CONDOR", já no Paso de Jama (Argentina), notei uma Land Rover estacionada. Como sou um afixionado por este veículo e por viagens desenvolvidas com eles (vide os links: Challenging yours dreams , Mundo por Terra e Terra Sem Fronteiras) não resisti a dar uma xeretada e quem sabe conhecer os aventureiros proprietários daquela belíssima máquina, toda equipada para uma grande viagem. Pois bem, enquanto a Adelaide cuidava dos aspectos burocráticos de nossa entrada na Argentina, fui fotografá-lo. Logo descobri os proprietários do veículo, também envolvidos com os trâmites aduaneiros, pois estavam adentrando o Chile. Conheci ali então, o casal Danusa Campos e Fernando Oliveira, que haviam até aquele dia, à partir do Rio de Janeiro e após uma semana de viagem, iniciado o projeto que dá nome ao seu site: World Experience. Uma volta ao mundo com vários objetivos, entre eles a divulgação da Carta da Terra
São casais assim, com iniciativas como esta, que nos inspiram a continuar empreendendo nossos projetos. Parabéns Danusa e Fernando. Estaremos torcendo por vocês e na carona do Pezão, conhecendo os locais maravilhosos tão bem registrados pelas lentes de sua NIKON. Ótima viagem a vocês.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Transamazônica, uma estrada para ser vista da lua

Festejo e divulgo mais uma obra de um escritor motoviajante ou motoviajante escritor. Falo do livro "Transamazônica, uma estrada a ser vista da lua" do motociclista catarinense Vantuir Boppré. Como colecionador de obras do gênero, já estou encomendando o meu livro. Confiram também os blogs do autor: Transamazônica e Caminhos da América, este último contando sua última aventura, que certamente renderá outra bela obra.
O Vantuir estará lançando o livro e o documentário sobre sua aventura na Transamazônica no próximo dia 10/02/10, na cidade de Biguaçu na grande Florianópolis.
Para adquirir o livro você deve enviar um e.mail para o autor. confira instruções no seu blog.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

13° Moto Lagoa

Ocorre nos próximos dias 26, 27 e 28 de Março, na bela e simpática cidade Gaúcha de São Lourenço do Sul, as margens da lagoa dos Patos, o 13° Moto Lagoa, organizado pelo MC guerreiros do asfalto. Informações sobre o evento, no site do Moto Clube.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

COMEÇA A EXPEDIÇÃO: NAS ASAS DO CONDOR

A Expedição NAS ASAS DO CONDOR, Uma viagem ao umbigo do mundo, começou. Se Deus quiser ainda hoje postamos o primeiro relato do primeiro dia de viagem. De Porto Alegre a Uruguaiana o trecho é conhecido por mim e parcialmente conhecido pela Adelaide. A partir de Uruguaiana, totalmente desconhecido para ambos. Tudo será novidade, adentraremos o desconhecido. Outros viajantes e aventureiros já o fizeram o que nos traz uma certa tranquilidade, porém para nós, mesmo assim ainda é desconhecido. E como cada viagem é única, único será o seu desenrolar. A partir de hoje, o conforto do lar será substituido pela adversidade do caminho: Calor, chuva, frio, vento, tempestade, corrupção da polícia, o imponderável e imprevisível nos acompanhará. Em compensação, o sentimento de superação, as amizades da estrada, as paisagens únicas e maravilhosas, a presença forte de Deus, serão a nossa recompensa. Fiquem conosco, nos acompanhem, sejam nossos garupas. A partir de agora, pelos próximos 30 dias, o link criado, também na forma de blog NAS ASAS DO CONDOR, passa a ser mais frequentemente ulilizado, através das postagem do relato da viagem e de outras curiosidades. Poderá ocorrer de ficarmos alguns dias sem postar, pois dependeremos a partir de agora de lan houses. Não se se apoquentem, para nós também é ruim ficarmos sem este contato, por isto o esforço da vinda constante ao blog. Por hora é isto gente: BOA VIAGEM A TODOS NÓS E QUE DEUS NOS ACOMPANHE.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

I Confraternização Brazil Riders - Planalto Médio RS

Ocorre no dia 9 de Janeiro a I Confraternização Brazil Riders Planalto Médio RS. O Brasil Riders é um clube que congrega diversos motociclistas do Brasil e do exterior, da qual fazemos parte. Importante instrumento de troca de experiências e conhecimento. Para a viagem NAS ASAS DO CONDOR, já contatamos o conselheiro no exterior e outros motociclistas dos países que visitaremos, pessoas estas, que podem nos dar apoio em caso de alguma eventualidade. Também muitas amizades são constituidas a partir destas interações. Infelizmente não poderemos participar desta confraternização. Se estivéssemos por aqui certamente não deixaríamos de ir. Para maiores obter maiores informações envie um e.mail para diogorodrigues@dgnet.com.br .

Blog Turismo e Aventura - Dicas de viagens

Outra viagem que se desenrola por estes dias é do viajante e blogueiro Márcio Port. Márcio é proprietário do blog Turismo e Aventura - Dicas de viagens onde relata todas as suas viagens e passeios. De forma muito bem estruturada, organizada e metódica o Márcio enriquece o seu blog com informações importantes dos roteiros que executa. É um excelente instumento para organização de quem pretende viajar. Para nós está sendo muitíssimo útil, pois o itinerário do Márcio é muito parecido com o nosso. Nesta viagem denominada de Expedição Machu Picchu, o Márcio sua esposa Léa e mais 3 casais e 4 crianças estão viajando com camionetes 4x 4. Tudo registrado, como falei, de forma estruturada e organizada. Vale a pena uma olhada no seu blog.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Nas Asas do Condor inicia na quarta-feira dia 06/01/10

Amigos,
O Início da viagem NAS ASAS DO CONDOR, foi postergado para Quarta-feira, dia 6. Alguns problemas técnicos, de última hora nos impedem de partir amanhã dia 05 (1(um) dia de atraso, que não comprometerá a execução do roteiro). No retorno explicarei o que aconteceu. A ansiedade pela partida cresce. Quando estamos neste ponto queremos colocar a moto na estrada o quanto antes. Paciência, o QUARTO membro da equipe sabe o que faz. Certamente ELE entendeu que não deveríamos iniciar a viagem no dia de amanhã.
Abraço e obrigado pelo apoio de todos.

As viagens de motociclistas, seus blogs e seus adesivos

Este é um período de muitas expedições pelos países vizinhos (Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Peru e Bolívia).
Neste momento, até onde consegui identificar estão ocorrendo, ou irão ocorrer, as viagens de motocicleta que relaciono abaixo com os respectivos blogs e adesivos da aventura. Algumas com destino ao Atacama, outras com destino ao Machu Picchu e outras com destino a Ushuaia. Aventuras para todos os gostos. Percebam os adesivos criados por todos os aventureiros, bonita tradição dos motociclistas viajantes.
Vamos a elas:
Casal João Serra e Mariangela Serra, do blog Serra e Manja, viajando e fazendo amigos - destino: Macchu Picchu - Saída: dia 15/01/10, a bordo de uma XT 660.

Flávio, Harry e Castelo, do blog: Rumo ao Atacama - destino: deserto do Atacama - Saída, já ocorreu no dia 02/01/10.

Fábio Magnani, do blog: Equilíbrio em Duas Rodas - destino: Deserto do Atacama - Saída já ocorreu no dia 26/12/2009, a bordo de uma XT 660. Aqui vale uma recomendação: Não deixe de acessar o blog do Fábio. Vale a pena, pela organização e riqueza de informações que contém. Muito bom mesmo. Sem desmerecer os demais, mas este realmente está diferenciado.

Marcelo Spode e Rodrigo Motta, do blog: Marcelo Spode, aventuras - Destino Patagônia, Ushuaia e Carretera Austral - Saída já ocorreu no dia 31/12/09, ambos com motos XT 660.
Casal Paulo e Bárbara, que postam o relato em tópico específico no fórum Falcon Online - Destino: Atacama e Machu Picchu - Saída já ocorreu no dia 20/12/09, a bordo de uma Falcon NX 400.

Celso, Juliana e Leitão, que postam também o relato em tópico específico no fórum Falcon Online - Destino: Atacama - Saída já ocorreu no dia 29/12/09, a bordo de duas motocicletas Falcon NX 400.

Livro novo publicado: "Machu Picchu, uma nova aventura"


Fico muito feliz quando fico sabendo da publicação de mais um livro relacionado a moto viagem. Sou um colecionador de obras do gênero. O livro lançado recentemente é do Sid, Machu Picchu, uma nova aventura. Sid é um motociclista experiente, dono do blog homônimo e que na viagem relatada, atravessa a interoceânica, um feito, na minha opinião, dado a adversidade da rota, realmente diferenciado. Parabéns Sid e obrigado por nos brindar com mais esta obra.

Quem quiser adquirir o livro pode acesser o blog do autor: Sid, um aventureiro sobre duas rodas, e encontrará lá as instruções de como fazer para comprá-lo.

Transcrevo a sinopse do livro, que deixa a gente louco de vontade de começar a leitura imediatamente:

Destino, Machu Picchu - Peru, essa é a fascinante aventura de sete motociclistas, Sid e seus amigos, dentre eles uma mulher, que partiram de Campinas-SP para o Acre, saindo do Brasil através da Rodovia do Pacífico, ainda em obras, cortando a Cordilheira dos Andes amazônica e os altiplanos peruanos. Foram 31 dias de estrada por incríveis cinco países, experimentando os sabores que a natureza e a liberdade que a moto oferece, o calor do sol, o banho de chuva, o frescor do vento e o agasalho do frio.
Através da viseira viam-se caminhões, máquinas e toda sorte de imprevistos e perigos em regiões desabitados, onde não há possibilidade de socorro imediato, apenas contando com a própria sorte.
Percorreram caminhos precários, sem combustível, beirando precipícios atravessando florestas, pampas e desertos, em altitudes de até 5.000 m, onde o ar rarefeito causa dores de cabeça, náuseas, tontura, fadiga e em alguns casos desmaios e embolias. Durante as noites dormiram em lugares precários, e as refeições eram feitas quando possível.
Não resta duvida, de que diante de tantas adversidades o convívio em um grupo grande e heterogêneo tornou-se difícil, mesmo assim, divertiram-se muito e compartilharam a realização desse grandioso sonho sobre duas rodas. Uma aventura para ler e viajar na imaginação, uma historia vibrante, divertida, emocionante, cheia de dicas e informações úteis sobre planejamento para uma incrível viagem; o que levar na bagagem, documentos necessários, onde obtê-los, custos da viagem, hotéis, moedas e relatos históricos dos lugares por onde passaram:
Campo Grande, Cuiabá, Porto Velho, Rio Branco, Puerto Maldonado, Marcapata, Cusco, Vale Sagrado, Machu Picchu, Linhas de Nazca, Arequipa, Cañion Del Colca, Copacabana, Lago Titicaca, San Pedro, Salar e Deserto de Atacama, Valle de La Luna, Gêiseres Del Tátio, San Salvador Jujuy, Salta, Porto Alegre, Florianópolis e Campinas.
Seja você mesmo o narrador da sua aventura.