domingo, 31 de outubro de 2010

A pressa - Da série Frases e Citações memoráveis

É incrível como tudo na vida, quando se faz sem pressa, adquire muito mais sabor. A pressa só serve para nos deixar menos sensíveis, menos atentos a tudo o que acontece em volta. Com pressa se perdem muito dos detalhes, que são tão importantes nas coisas. Os fatos são feitos de detalhes, de nuances, de pequenas particularidades, que quando somados formam o todo. Perdendo-se os detalhes ainda se vê o todo, mas jamais sua profundidade. (Aventuras no Mar, pág. 163, de Helio Setti Jr).

domingo, 24 de outubro de 2010

Decisões Extremas

Decisões Extremas. Filme que vimos hoje, baseado em fatos reais e com a participação de um elenco de peso.

Fala de obstinação, perseverança, esperança, luta.

Resumo o filme em uma das frases que foi dita nos extras pelo ator que interpretou o protagonista, falando a respeito de seu personagem: "- Ele transformou o NÃO em TALVEZ e o TALVEZ em SIM".

O filme é ótimo. Fiquem com o trailler: 

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O Rio Grande Canta o Cooperativismo


No dia 29 de Outubro de 2010, portanto na próxima Sexta-feira, será realizada a 2° etapa classificatória do festival "O Rio Grande Canta o Cooperativismo", que chega a sua 4° Edição. Esta etapa ocorrerá na cidade de Rolante e contará com a participação de 10 músicas inéditas. Entre elas a do meu amigo, poeta e compositor Flaubiano Lima. Este ano ele concorre com a música "Ventos de Esperança" que será interpretada pelo músico Nilton Ferreira. Flaubiano e Nilton representam a SICREDI Nordeste, com sede na cidade de Rolante. O Festival, promovido pela OCERGS (Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul) é um festival do mais alto gabarito e de entrada franca. Ao todo serão 3 eliminatórias. A primeira já ocorrida na cidade de Santa Rosa, a segunda, na próxima Sexta-feira em Rolante, e a última antes da final, na cidade de Antônio Prado. A final ocorrerá na cidade de Ibirubá, quando 12  músicas (4 de cada eliminatória) concorrerão a melhor música deste belíssimo festival.

Em 2008, o meu amigo Flaubiano, venceu com uma das músicas mais lindas do cancioneiro gaúcho, o prêmio de melhor música desta edição do festival. A música é linda pela sua musicalidade e pelo conteúdo de sua mensagem.

Confiram, Vale a pena:

Fábula dos Gansos

A um olhar mais atento não passa despercebido
Esta fábula de união que os gansos nos ensinam
Quando nos céus peregrinam em seu voar solidário
Povoando os olhos da gente com as lições que disseminam

Quando o bando bate as asas, a formação em forquilha
Reduz a força do vento prá os que vem na retaguarda
E uns ajudando os outros se revezando na ponta
Vão longe, afinal de contas, fica mais leve a jornada

O líder que vai na frente quando cansa entrega o posto
E se recolhe por gosto ao lugar comum da culatra
E continua grasnando prá dar coragem aos outros
Para que um grito de fé torne a vida menos ingrata

Cooperação é assim, é uma direção comum
É um compartilhar de rumos pelas crenças coletivas
É só olhar para os gansos e ver em suas lições
Uma imensidão de razões prá andar em cooperativa

Estas aves migratórias que buscam amenidades
Ensinam tantas verdades que alguns teimam em não ver
Ensinam que prá vencer as agruras dos caminhos
Não se pode andar sozinho
É cooperar ou morrer

Autor da letra: Flaubiano Lima; Autor da música: Jonas Demeneghi da Silva; Intérprete: Lúcio Brandão.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Livro do Godoy: Viajando pela Rota Transiberiana


Já faz um tempo que quero aqui publicar meu comentário a respeito da leitura de um dos livros do Guillermo Godoy, "Viajando pela Rota Transiberiana". Mas antes de comentá-lo é importante que eu fale um pouco a respeito do autor. Pois bem: O Guillermo Godoy é hoje um ícone no mundo do motociclismo de longas viagens (Motociclismo que denomino de Mototurismo ou Motoviagem). Godoy não é somente merecedor deste título pelos seus feitos motociclísticos. Sem dúvida que estes já o credenciariam para tal, mas na esteira destas realizações temos um homem de elevadíssimo caráter e integridade. Godoy, com 65 anos, nos idos de 1997, empreende uma viagem com o objetivo de cruzar a Transiberiana. Atentem para a data. Estamos falando de um período imediatamente posterior a Glasnost e a Perestroika lideradas por Mikhail Gorbachev premier russo, que capitaneou a democratização da URSS e iniciou a derrocada do sistema totalitário e corrupto do partido comunista soviético. Vejam só, estamos falando de um motociclista com 65 anos de idade, que planeja e realiza uma viagem, ainda hoje das mais inusitadas, para a Sibéria de tantas histórias e mistérios. E hoje vemos motociclistas na flor da idade se queixando da vida e das dificuldades e adversidades de uma viagem de motocicleta onde os destinos mais comuns da maioria dos motoviajantes brasileiros são em sua maioria a América do Sul. Além destes componentes, merece ressaltarmos a sensibilidade e boa pena deste escritor, que como disse, usando da mais pura sensibilidade do viajante engajado em seu projeto, ainda apesar da idade e experiência, se considera um aprendiz. Ele nos remete a visão e relato dos lugares, paisagens e experiências de um país desconhecido, com uma língua desconhecida e difícil, e do sofrimento que traz a distância de sua família, especialmente de sua filha Patrícia, grande parceira também de outras tantas viagens. Godoy sofre, se diverte, se experimenta, enfrenta lobos em plena noite gelada da Sibéria e passa a noite dormindo em uma barraca as margens desta monumental ferrovia, onde tem o incrível privilégio de assistir a poucos centímetros de distância de onde estava, a passagem do trem Transiberiano. Um fato, realmente sem precedentes. Quem já passou por isto? Confiram este fabuloso trecho:

"Pouco antes da meia-noite, um leve tremor na terra e um estranho barulho na distância, me fizeram acordar com certa preocupação. Nesse momento, Ener gritava de dentro do seu iglu: É o tremor de um terremoto!!!...
Abri o fecho da minha barraca e apesar do frio, fiquei observando com a cabeça de fora ao longe, um poderoso facho de luz que iluminava a noite negra e gelada.
O trem !! O trem !!
Gritamos os dois ao mesmo tempo, cheios de euforia.
Enquanto isso, o tremor de terra aumentava cada vez mais, e, o poderoso refletor, penetrava na noite, iluminando os trilhos. De repente, as motos e as barracas e nós mesmos, ficamos envolvidos por intensa e estranha luminosidade.
No preciso momento em que a luz nos atingiu, escutamos um apito estridente e prolongado, que rasgou brutalmente, o silêncio da noite.
Fiquei totalmente impactado com essa visão quase fantasmagórica e aquele som cada vez mais crescente. Parecia que "essa coisa", vinha com toda a fúria, bem em cima de nós.
Durante vários minutos, emocionantes, durante os quais esgotei minhas reservas de adrenalina, o trem Transiberiano, todo iluminado, passou como um vendaval, bem ao nosso lado, rugindo e fazendo vibrar a terra e muito mais, meu coração. Consegui contar treze vagões e duas locomotivas.
Pouco a pouco, o barulho e a luz do trem, foram diminuindo até desaparecer. Em questão de minutos apenas, em torno de 1000 pessoas, tinham passado ao nosso lado, quem sabe com que destino, cada um !!
Me perguntava,..... quantas pessoas haveria no mundo, que já viram passar o expresso Transiberiano, no meio da Sibéria, à noite e bem ao lado da sua barraquinha?? Provavelmente nenhuma. Eu era um privilegiado. Naquele momento, eu agradeci a Deus por ter a oportunidade de viver essa rara emoção." (Op. cit. pág. 165)

Nem tudo foram flores nesta aventura, tanto que abordados pela polícia soviética e carentes de uma mera formalidade, são obrigados, quase concluindo a travessia, a retornar ao ponto de partida, o que apunhala de forma violenta a moral do grupo (Guillermo tem a companhia de Ener, seu amigo Indiano, proporcionador das mais inusitadas e cômicas situações nesta viagem). Recuperados retomam a viagem, agora com novo destino. Este livro merece sem dúvida a leitura. Hoje Guillermo está com 77 anos e não descansa, pelo contrário, possui um vigor de menino. Médico, Argentino de nascença, mas Brasileiro de coração, Guillermo mora em Florianópolis. Quem visita seu site, verá que ele planeja uma volta ao mundo. Também agora recebi a notícia da publicação de seu último livro onde ele conta a sua experiência de tentar cruzar as três Américas do extremo sul (Ushuaia-Argentina) ao extremo norte (Prudhoe Bay - Alaska). Mas este é um tema para um próximo post. Por hora, fiquem com a sugestão deste livro do Godoy, que pode ser adquirido através das instruções constantes em seu site.

sábado, 16 de outubro de 2010

Se chamará Artur

Vai ser guri e se chamará Artur. No dia 6 de Outubro a Adelaide fez mais uma Ecografia e neste dia ele estava com 180 gramas e media 17 cm (incrível como crescem). A Adelaide estava na 17° semana de gestação. Hoje ela já está com 18 semanas e já começa a sentir os primeiros movimentos do bebê. A cada dia que passa a minha expectativa e ansiedade aumenta e fica tangibilizada no crescimento da barriga da Adelaide. Ali está o nosso filho, crescendo, já se movimentando, chutando, esticando os bracinhos e as perninhas, mas tranqüilo e confortável no ventre de paz de sua mãe. Estamos muito felizes.

sábado, 9 de outubro de 2010

Saudade

Amanhã dia 10 de Outubro fazem 15 anos que a nossa mãe, Nilse Link, nos deixou. Depois de uma longa e corajosa luta contra o câncer ela é vencida pela terrível doença. Faleceu rodeada pelos seus 4 filhos que muito a amavam. Hoje dia 9 de outubro ela estaria fazendo aniversário. Ela ainda está muito presente em nossas vidas e este período, especialmente estes dois dias, são doloridos para mim, dias em que a lembrança e a saudade apertam forte o coração.

Perseguição policial

Impressionante as imagens deste vídeo. Busquei lá do blog do Youssef. Pensei que cenas como estas só víamos em filmes norte americanos. Confiram: