segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Curta Metragem "Inca"

Pedro é um jovem brasileiro, que viaja sem destino pela América do Sul, em busca de um local para dormir, encontra uma antiga vila isolada no interior do Peru, onde fica por alguns dias. Lá conhece a menina Ester, o pai dela Raul, e a avó Cláudia. Momentos de descoberta, emoção, e colaboração. Numa viagem em busca por si mesmo, Pedro descobre que os lugares por onde passa, assim como ele, nunca mais serão os mesmos.

Esta é a sinapse do Curta metragem “Inca”, que participa do projeto chamado “histórias curtas”, que reúne as melhores produções audiovisuais do Rio Grande do Sul. Uma iniciativa muito legal patrocinada pela RBS TV, afiliada da Rede Globo aqui no Estado, que tem por objetivo apoiar os diretores e cineastas, na maioria iniciantes, na produção de curta-metragens selecionados e apresentados na TV, na programação local da RBS. O produto desta iniciativa são excelentes filmes, que merecem ser assistidos.

Pois, no último sábado ao meio-dia, horário em que se apresentam os curtas, fui surpreendido de forma positiva pelo filme “Inca”, que foi totalmente gravado no Peru, durante cinco dias, com a participação do ator porto-alegrense Eduardo Cardoso. As demais interpretações são feitas por não-atores que o diretor Bruno Carvalho selecionou nas próprias locações do curta.

Por que estou falando e compartilhando este curta metragem em um blog dedicado a Moto-viagem?
Por três motivos:

1° - Porque podemos ver (para quem já foi, rever) as magníficas paisagens do Peru, entre elas as cidades de Machu Pichu, Lima e o incrível povoado de Ollantaytambo, este último me impressionou por demais (veja aqui o relato da nossa passagem por Ollantaytambo), onde aliás, se passa boa parte da história. Todos, destinos míticos para os Motoviajantes. Poder rever estes lugares nesta produção gaúcha foi o maior barato.

2° - O filme conta também com uma motocicleta, que é importante para o encadeamento de diversas situações da história.

3° - O filme fala das inquietudes de um jovem em busca de si mesmo, em busca do seu lugar, da sua busca pelo auto-conhecimento, que se dá através de uma viagem sem destino pela América Latina. Situações, sentimentos e inquietudes que acompanham a maioria de nós, talvez por isto somos motociclistas viajantes.

Como os filmes são reproduzidos somente no RS, quem tiver o interesse de assistir a outros curtas do projeto, acesse o site do projeto e assita também outras excelentes produções, não só desta edição, mas também das edições passadas.

Bom filme. Espero que gostem:


Ficha Técnica:
Título Original: Inca;
Direção: Bruno Carvalho;
Roteiro: Bruno Carvalho, Edison Rodrigues, Felipe Rosa e Pedro Tergolina ;
Elenco: Eduardo Cardoso, Jaquelin Medrano, Hermitania Canal e Jose Luis Olivera;
Produtora: Matilha Filmes;
Realização: RBS TV;
Ano: 2011.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

As cinzas do Vulcão, os amigos, a volta ao mundo, e as cinzas em minha casa

Fumaça do vulcão Puyehue vista do vilarejo de Rininahue, Chile - Foto de Claudio Santana (Fonte: Veja)

O título deste post ilustra como funciona o nosso cérebro. Ele funciona por sinapses, ou seja, um acontecimento relembra outro, que relembra outro e quando nos damos por conta, estamos lembrando fatos, pessoas e histórias que, pouco ou nada tem a ver com o pensamento ou acontecimento ocorrido no início de nosso processo de refletir ou pensar.
Vejam só: Hoje quando cheguei em minha casa vindo do trabalho, me deparei com a casa (assoalho, mesa, etc...) coberta por uma fina camada de pó. Nada mais que as cinzas do vulcão Puyehue do Chile. Desde ontem aqui no estado do Rio Grande do Sul o céu está encoberto por esta nuvem de cinzas.
Imediatamente me lembrei de nossa viagem em 2009, quando visitamos a região dos lagos, aliás lindíssima, onde percorremos a rota dos 7 lagos, ainda não asfaltada (não sei se hoje já concluiram o asfaltamento = na época estavam em obras), que liga Vila Angostura a belíssima São Martin de Los Andes. Lembro da poeira que comemos neste trajeto. Passamos pertinho do vulcão quando cruzamos a Argentina pelo Paso Aymore em direção ao Chile, local onde a Cordilheira dos Andes possui uma das suas menores alturas, mesmo assim estamos falando de altitudes de 3.000 m.a.n.m.
Assim se processam as sinapses: A cinza do vulcão hoje em em nossa casa, que lembrou o vulcão Puyehue, que lembrou a viagem de 2009, que lembrou o pó que comemos na ruta de los 7 lagos, que lembrou a travessia da cordilheira a caminho do chile, que acabou lembrando sabe o que? Os amigos feitos no deserto do Atacama, mais precisamente no Paso de Jama (divisa entre Argentina e Chile), por ocasião da viagem de 2010, denominada “Nas Asas do Condor”. Eles iniciando sua viagem de aproximadamente 1,5 anos ao redor do mundo e nós retornando de nossa viagem ao Peru.
E porque lembrou os amigos Fernando e Danuza? Porque, por incrível que pareça este extraordinário casal, que relatou toda a sua viagem denominada Word Experience em um site do mesmo nome, já retornando de sua viagem ao redor do mundo a bordo de sua Land Rover, apelidada de Pezão, volta ao continente americano pela Argentina e acaba se instalando na Região dos Lagos, justamente no mês e no dia em que o Vulcão Puyehue entra em erupção, fechando vários aeroportos e 3 meses depois, ou mais precisamente hoje, trás as suas cinzas até a nossa casa.
Sinapses, que me lembram cérebro, que me lembraram de fazer este post, que me lembram..., Ah!!!! deixa pra lá....

domingo, 16 de outubro de 2011

Mês da Criança e o Paraguai

Panteão Nacional dos Heróis em Assunção

Outubro, é o mês da criança em quase todo o mundo, ou talvez em todo o mundo. Somente o Paraguai não comemora o dia da criança em Outubro, mas sim no mês de Agosto, em homenagem, em lembrança, em tributo a um dos capítulos mais vergonhosos da história do mundo. Me refiro a batalha conhecida como batalha de Los Niños, a derradeira batalha da Guerra do Paraguai, antes da derrota completa deste país com a morte de Francisco Solano Lopes, seu presidente. Na verdade a homengem, absolutamente necessária, é pelas 3.500 crianças sacrificadas nesta batalha, ocorrida em Acosta Ñu, no Paraguai.
Acosta Ñu foi uma das mais terríveis batalhas da história militar do mundo e última resitência da nação paraguai na vergonhosa Guerra do Paraguai patrocinada pela Inglaterra e executada pela Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai), tendo o Brasil como maior exército envolvido nesta guerra.
De um lado, estavam os brasileiros com 20 mil homens. De outro, no meio de um círculo de soldados inimigos, os paraguaios com 3.500 soldados de 9 a 15 anos, não faltando garotos de 6, 7 e 8 anos! Juntos às 3.500 crianças paraguais, combatiam 500 veteranos do exército paraguaio, comandados pelo General Bernardino Caballero.
Esta batalha, acontecida no dia 16 de Agosto de 1869, começou pela manhã, num campo aberto e é conhecida como a batalha de "Los Niños". É o símbolo mais terrível da crueldade da Guerra do Paraguai: as crianças de 6 a 8 anos no calor da batalha, apavoradas, agarravam-se às pernas dos soldados brasileiros, chorando, pedindo que não as matasem. E eram degoladas no ato. Escondida nas selvas próximas, as mães observavam o desenrolar da luta. Não poucas pegaram em lanças e chegaram a comandar grupos de crianças na resistência. Finalmente, após todo o dia de luta, os paraguaios foram derrotados. Pela tarde, quando as mães vieram recolher as crianças feridas ou enterrar os mortos, o Conde D'Eu mandou incendiar a macega. Neste braseiro, viam-se crianças feridas correr até caírem vítimas das chamas.

Faço esta introdução, aproveitando a sinapse de dois temas, o mês da criança e o Paraguai, para falar deste país, tão explorado, massacrado e hoje com tantas dificuldades, decorrente especialmente desta vergonhosa guerra, como uma possibilidade ainda a ser explorada pelos motoviajantes. Pelo que tenho lido e percebido, engana-se quem pensa que a ida para o paraguai somente vale a pena em função das compras.
Afirmo que ainda é uma possibilidade a ser explorada, pois, em minha pesquisa sobre o tema, tive dificuldades de encontrar algum motoviajante que tenha ido ao Paraguai e tenha postado relatos na Internet. Encontrei o excelente blog/site do casal Jota e Tana de Curitiba, que fizeram este tur pelas estradas Paraguaias em Março deste ano, e relatam esta viagem em seu blog. Outro interessante relato (não de motoviajante), para quem quer saber um pouco mais sobre o turismo no Paraguai é o blog Viagem, de Priscila De Martini.
E a relação mais pormenorizada e estruturada que encontrei sobre o turismo no Paraguai está na Wikipidia. Muito interessante. 
Enfim, o Paraguai é ainda um destino a ser descoberto e explorado pelos amantes da Motoviagem. Quem tiver dicas, ou quem quiser compartilhar informações ou mesmo o relato de sua motoviagem ao Paraguai, entre em contato.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Cenários de Motocicleta

O Blog está de cara nova e evolui na sua proposta. Agora seu nome é "Cenários de Motocicleta", em substituição ao "Álvaro e Adelaide Mundo afora". A idéia a partir de agora é forcar ainda mais no mundo da moto viagem, trazendo assuntos e temas relacionados a este universo, especialmente, compartilhando relatos e dicas de viagens, não só nossas, mas especialmente de outros tantos moto-viajantes por este mundo afora.
Inspirados pelo espírito destes heróis é que reinauguramos este portal.
Conto com todos nesta nova viagem.