terça-feira, 5 de junho de 2012

Catarinense inicia viagem de volta ao mundo em uma Scotter


Márcio de Souza Silveira, 29 anos, advogado, motociclista catarinense, lá de Florianópolis, desligou-se do seu trabalho, livrou-se de todas as suas contas mensais, não deixando prestações para serem pagas, entregou sua casa a imobiliária e iniciou no último dia 16 de Maio uma viagem de motocicleta sem destino definido, sem tempo para sua conclusão, cuja pretensão é viajar pelo mundo, apreendendo, conhecendo novos locais, culturas e pessoas. Márcio viaja a bordo de um Scotter City Com 300i, da Dafra. Sem fonte de renda, pretende gastar o mínimo possível (calcula em torno de R$ 3.000,00 por mês), pousando em casa de amigos, conhecidos ou pessoas que venham a acolhê-lo ou dormindo em sua barraca e seu saco de dormir. Em seu último post no seu blog, informa que já chegou ao Chile, atravessando a Cordilheira dos Andes, pelo passo Cristo Redentor, vencendo os seus famosos caracoles. No inicio de sua aventura parou por 4 dias em Porto Alegre, de onde seguiu viagem, entrando no Uruguai e depois novamente Brasil (Uruguaiana), para então ingressar na Argentina. Enganam-se quem pensa que Márcio optou pela City Com em função de custo ou por não ter outra opção. Sua escolha foi pensada e planejada, apoiada por uma experiência bastante vasta no motociclismo, uma vez que, além de filho de motociclistas, já pilota desde os 13 anos, trabalhando em lojas de moto e já tendo experimentando a moto velocidade, o MotoCross, trilhas e várias motoviagens pelo Brasil e América do Sul, tendo já nestas diversas modalidades motociclísticas experimentado mais de 100 diferentes motos nestes variados estilos. Conforme ele mesmo diz, sua escolha tem além de motivadores técnicos “motivos morais e ideológicos”. Toda a fundamentação desta opção de motocicleta também pode ser encontrada em seu blog, criado para relatar a viagem. A propósito, Márcio, leva em sua bagagem um Notebook, e pretende diariamente, ou sempre que possível, atualizá-lo, postando também fotos dos trechos vencidos e vivenciados. Quando o li pela última vez, Márcio, se encontrava em Pucon e havia dormido em sua barraca que armou no pátio de um posto de gasolina. Conforme seus relatos, o que mais tem sido difícil neste inicio de viagem, é o intenso frio deste período. Estarei acompanhando a viagem de Márcio, que já tem de mim um enorme respeito e admiração. Márcio, quanto ao desafio desta inusitada e sensacional viagem diz o seguinte: “- O mais difícil eu já fiz, que é dar a largada”. Obrigado Márcio, por compartilhar seus feitos e nos inspirar. Desejamos a este corajoso irmão motociclista muita sorte em seu caminho, com a benção dos Deuses do motociclismo, muitas felicidades e uma excelente viagem. Estaremos com ele, virtualmente na garupa de sua City Com, curtindo muito sua aventura.