Quem Somos

Adelaide Rosane Sorgetz, navegadora das viagens do casal, é natural de Nova Petrópolis, cidade que adora e um dia pretende voltar a morar. Hoje dedica-se a sua maior e mais desafiante aventura, a de exercer a maternidade, o que lhe tirou momentaneamente das empreitadas de motoviagem. Adelaide gosta de praticar atividades que fazem bem ao corpo e a mente, dentre elas a corrida, a musculação, o alongamento, curtir um bom filme, ler um bom livro e viajar. A partir do momento que começou a viajar de moto (como garupa e navegadora), descobriu uma nova forma de curtir a vida, pois conforme ela, "- viajar de moto traz uma sensação de liberdade e um contato com a natureza sem igual".  Sempre gostou deste contato direto com a natureza, tanto que uma das suas maiores paixões é acampar, um prazer que conheceu com o Álvaro. E como a natureza gosta de testá-la, sempre manda uma boa chuvarada nos seus batismos, pois em toda nova atividade que se envolve a mãe natureza testa as convicções desta guerreira, para saber se é isto que ela realmente quer. E a resposta sempre foi positiva: a teimosa perseverou. Assim foi na primeira vez que acampou, na primeira vez que participou de uma corrida de rua e na sua primeira viagem de moto, viagem esta feita a Punta del Este, onde enfrentou dois dias de chuvas intermitentes e fortíssimas, com temperaturas tão baixas que faria muito barbado se acovardar. Nesta viagem enfrentou bravamente uma quase hipotermia, quando esteve a ponto de congelar, mas também ali a teimosa perseverou. Adelaide é uma mulher delicada, parece frágil. Acerta quem presume que ela seja delicada, mas se engana quem pensa ser ela uma mulher frágil. Adelaide é forte, tem energia e coragem para acompanhar e incentivar as aventuras do casal. Assim como seu companheiro, sabe que a felicidade está nas coisas e atos simples da vida. Já foi ao Fim de Mundo de moto e voltou com belas lembranças e 13.000 km como garupa e navegadora. Nos projetos de aventuras e viagens do casal, toda a organização, roteiro, estudos do trajeto, logística é por conta desta organizada e metódica navegadora. Foi assim também no projeto intitulado "NAS ASAS DO CONDOR, uma viagem ao umbigo do mundo", viagem fascinante, em que rodaram 10.000 km e onde todos os limites do casal foram testados. Hoje, mãe de um sapequinha, se dedica junto com o companheiro Álvaro a idealizar outros projetos de viagens em que o seu pequeno príncipe  Artur possa também participar.



Álvaro Link, é formado em Direito, mas não advoga ou tão pouco atua nesta área. Atualmente é um profissional da área financeira, trabalha em uma cooperativa de crédito e acredita na força da cooperação. Transformou-se em motociclista a não muito tempo, fevereiro de 2008, embora já tenha feito duas grandes viagens, uma ao "Fim do Mundo" e outra ao "Umbigo do Mundo". Já contabiliza mais de 30.000 km rodados a bordo principalmente de sua ex-motocicleta Falcon NX 400, batizada de Catarina II, da qual guarda um enorme respeito. Apreender a pilotar uma moto é fruto de uma das suas resoluções do final de 2006, "apreender a pilotar, comprar uma moto e planejar grandes aventuras". O espírito irrequieto do aventureiro sempre o fez desejar viajar e conhecer outros locais. Entendeu que a motoviajem é uma ótima opção, pois alia aventura, interação com a natureza, busca do inusitado e encontro com o imponderável. " - Na moto, sentimos o vento, o calor, a luminosidade, os cheiros da estrada e da vida, o sol nos energizando, estamos com nós mesmos e ligados a uma força superior...", diz o piloto. Álvaro tem outros projetos, entre eles o de alcançar o extremo norte do Continente americano, mais precisamente Prundhoe Bay no Alasca, viagem esta a ser feita, se possível, também a bordo de uma motocicleta. Outro projeto é realizar uma volta ao mundo com sua família, cujo meio de transporte ainda não sabe (pode ser uma motocicleta, um carro, um motor-home ou um veleiro). Ele provoca: " - Vocês acham que estamos loucos?, loucos são os que duvidam...". Aos que gostam de estigmatizar as pessoas, sempre responde com duas palavras e de forma lacônica quando dizem que ele não tem pinta de motociclista: "- Pois é...!!!!!!!". Gosta de história, tanto que realizou metade deste curso na faculdade (um dia pretende concluir). O espírito viajante herdou principalmente de seu pai, que era caminhoneiro e viajou por este Brasil conhecendo lugares e colecionando histórias (Álvaro, quando pequeno, teve o privilégio de acompanhá-lo em algumas viagens dormindo em cima da capa do motor do Alfa-Romeo que seu pai Arlindo dirigia). Sua mãe era uma grande parceira e também adorava viajar. Álvaro lembra que ainda bebê (talvez 2 ou 3 anos) a família comprou a primeira barraca (Uma Santo André, enorme e pesada). O espírito da descoberta, da necessidade do registro fotográfico, da história, da valorização do que se tem ou do que se conquista, herdou principalmente de sua mãe. Hoje ela acompanha os viajantes lá do céu, orientando também o seus irmãos, suas noras e seus netos(as). Mulher maravilhosa, forte e muito amada por todos. Álvaro gosta de viajar, quer viajar, quer conhecer lugares novos, estudar sua história, fotografar suas paisagens. Porém esclarece o seguinte: " - Eu não penso que a felicidade esteja só aí, ou de que preciso para ser feliz realizar estes sonhos, ou grandes projetos. Quem acha que penso assim se engana. Para mim a felicidade está nas pequenas coisas, no chimarrão com a Adelaide nos finais de semana, na sua companhia, na caminhada, na corrida, na leitura de um bom livro acompanhado daquele delicioso tinto Cabernet Souvignon, a felicidade está em ver o meu filho crescer e a cada dia apreender uma coisa nova, está em apreender, em ajudar o próximo de forma despretensiosa, em semear o bem. Em Viver. e completa "...A felicidade não está na chegada, mas sim no caminho".  Agora, papai do pequeno Artur e o mais novo proprietário de uma Honda Transalp, pensa que o maior legado que pode deixar a seu filho é o espírito curioso e valores que possam fazer dele um ser humano que tente fazer a diferença no mundo.


Artur Sorgetz Link, filho do casal, alemãozinho de olho azul. Olhos que herdou da mãe. Já demonstra um espírito curioso e inquieto. Menino com uma energia incrível, travesso, temperamento forte, promete cansar muito ainda seus pais. Começou a caminhar com 9 meses. Também já desde bebezinho, fez algumas viagens. Já foi para o Uruguai e já acampou na praia de Garopaba. Adora ir para rua e fica excitadíssimo quando é convidado a passear com seus pais. Completou no dia 18 de março de 2012 seu primeiro aninho. Seu nome Artur, rima com Arteiro. Ele é portanto o Artur Arteiro, e conforme seu pai, a versão atual do "menino maluquinho".








5 comentários:

  1. como sempre me emocionando!!!muito lindo teus textos!!amo vocês!!!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei encantado com o trio !
    Que Deus abençoe vocês em todas as situações, em viagens ou não.
    Abração de um motociclista de Santa Catarina, Balneário Piçarras.

    ResponderExcluir
  3. Belo website Adelaide, Alvaro e Artur!!!
    Grande abraço,
    Roy e Michelle - Mundo por Terra

    ResponderExcluir
  4. Belo website Adelaide, Alvaro e Artur!!!
    Grande abraço,
    Roy e Michelle - Mundo por Terra

    ResponderExcluir
  5. Sehr Gut das so Leute gibt der Mut zu haben die Welt kenen zu lernen.

    Alles Gutes.

    P. Assmann aus Deutschland

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação e opinião.